Banorte Plano de Benefícios II - Dúvidas Frequentes

Para a Aposentadoria por Invalidez, é preciso:

> Estar recebendo benefício de Aposentadoria por Invalidez pelo INSS e

> Ter, no mínimo, 12 meses de contribuições ininterruptas para o plano (exceto em caso de acidente do trabalho ou de doenças também isentas de carência pelo INSS).

 

Para a Aposentadoria por Idade, é preciso:

> Ter completado 60 anos de idade (mulheres) ou 65 anos (homens);

> Ter, pelo menos, 10 anos de vínculo empregatício com a patrocinadora;

Ter mantido 10 anos de contribuição ininterrupta para o plano (exceto para casos de conversão de Aposentadoria por Invalidez ou de Auxílio-Doença);

> Estar recebendo Aposentadoria por Idade pelo INSS e

> Estar desligado da patrocinadora.

 

Para Aposentadoria por Tempo de Contribuição, é preciso:

> Ter completado 55 anos de idade;

> Ter mantido 30 anos (homens) ou 25 anos (mulheres) de vinculação ao INSS;

> Ter 15 anos de vínculo empregatício com a patrocinadora;

Ter recolhido ao plano o mínimo de 12 contribuições mensais e

> Estar recebendo Aposentadoria por Tempo de Contribuição pelo INSS.

 

Para a Aposentadoria Especial ou do Ex-combatente, é preciso:

> Ter, pelo menos, 55 anos de idade;

> Ter mantido vínculo empregatício ininterrupto com a patrocinadora nos últimos 15 anos;

Comprovar a concessão de aposentadoria da mesma espécie pelo INSS e

Ter recolhido contribuição para o plano durante, pelo menos, 15 anos

 

Para o Auxílio-Doença, é preciso:

> Ter, pelo menos, 12 meses de contribuição ininterrupta ao plano (exceto em caso de acidente do trabalho ou de doenças também isentas de carência pelo INSS) e

> Estar recebendo benefício de Auxílio-Doença pelo INSS.

Pensão por Morte
É necessária carência de, pelo menos, 12 meses de contribuição ao plano, anteriores à data do falecimento (exceto em caso de acidente do trabalho ou de doenças também isentas de carência pelo INSS).                                                                                                                                                                                                         
O benefício é constituído de uma cota familiar de 50% do valor que o participante recebia na data do falecimento e tantas cotas individuais de 10% quantos forem os beneficiários habilitados, até o máximo de cinco. A Pensão por Morte será dividida em parcelas iguais entre os beneficiários inscritos.                                                    Toda vez que se extinguir uma cota individual, serão realizados novos cálculos e novo rateio do benefício entre os beneficiários remanescentes.                                          O benefício é pago em parcelas mensais, com direito a Abono Anual, da mesma forma que se dá com os demais assistidos. A correção do benefício também é a mesma.

Auxílio-Reclusão
É pago ao conjunto de beneficiários do participante detento ou recluso que, na data da ocorrência, conte com, pelo menos, 12 contribuições à entidade.                                Os critérios de cálculo, rateio e pagamento são iguais aos da Pensão por Morte. O benefício é mantido enquanto durar a reclusão ou detenção, sendo necessária sua comprovação pela família do participante, por meio de documento emitido pela autoridade competente. Com a morte do participante detento ou recluso, o Auxílio-Reclusão será automaticamente convertido em Pensão por Morte.

Pecúlio por Morte
Os beneficiários dos participantes ativos, autopatrocínados e assistidos têm direito a um pagamento único em valor equivalente a 10 vezes a Salário de Participação, desde que o participante tenha recolhido doze contribuições mensais ao plano. Desse total, serão descontadas eventuais contribuições ou outros valores devidos.                          O saldo é pago em partes iguais aos beneficiários, se não houver determinação contrária do participante. É também permitida - exclusivamente para este benefício - a escolha livre dos beneficiários pelo participante, desde que não haja beneficiários menores.

Abono Anual
Pago em dezembro, corresponde ao valor da renda recebida no mês. No ano em que inicia seu benefício, o assistido tem direito ao valor proporcional do Abono, conforme o número de meses decorridos desde a vigência da concessão até dezembro.

 

 

 

Para os participantes:

• Aposentadoria por Invalidez

• Aposentadoria por Idade

• Aposentadoria por Tempo de Contribuição

• Aposentadoria Especial ou do Ex-combatente

• Auxílio-Doença

• Abono Anual

Para os beneficiários:

• Pensão por Morte

• Auxílio-Reclusão

• Pecúlio por Morte

• Abono Anual

O Plano de Benefícios II oferece a seus assistidos a possibilidade de obter empréstimos a partir dos próprios recursos do plano. As regras são simples e, como a Fundação Itaú Unibanco não tem fins lucrativos, o programa de empréstimos dispõe de condições mais vantajosas. Confira as condições atuais:

 

Importante

1. Administre bem o seu orçamento doméstico - seus ganhos e gastos precisam estar equilibrados.

2. Analise o uso dos recursos que pretende solicitar e não faça dívidas desnecessárias.

3. Procure não contrair um novo empréstimo antes de quitar o anterior.

Os assistidos devem fazer sua atualização cadastral, todos os anos, no mês do seu aniversário. Este procedimento faz parte das exigências do Conselho de Gestão da Previdência Complementar (CGPC) e da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), atendendo a três objetivos básicos:

  • Manter atualizados os dados dos participantes para que a entidade tenha um canal de comunicação permanentemente aberto com seu público-alvo, permitindo seu acesso à informação;
  • Verificar a manutenção das condições legais de concessão dos benefícios;
  • Assegurar a exatidão do pagamento dos benefícios e dos cálculos atuariais, garantindo, assim , o equilíbrio do plano e protegendo seu patrimônio.

Quais dados que devem ser checados?

Nome, CPF, plano, logradouro (rua, avenida, praça etc.), número, complemento, bairro, cidade, estado, CEP, telefone residencial, celular e e-mail.

Como é o processo?

No mês anterior ao seu aniversário, o assistido recebe uma carta da Fundação Itaú Unibanco com as explicações e procedimentos a seguir. É enviado também um formulário de recadastramento que deve ser conferido, preenchido com os dados que necessitem alteração, datado e assinado com reconhecimento de firma por autenticidade em cartório.        O formulário é uma carta-resposta com postagem paga pela Fundação. Basta entregá-lo em uma agência dos Correios ou levá-lo pessoalmente à entidade até a data informada no documento. O participante que optar pela entrega pessoal fica dispensado do reconhecimento de firma, mas deverá, apresentar documento oficial com foto.

Para os casos em que o participante seja representado por procurador, deverá ser anexada uma procuração específica e atualizada no ano do recadastramento. Se o participante for representado por curador ou tutor, deverão ser anexados documentos comprobatórios da curatela ou tutela. Caso o participante esteja fora do país, será necessária uma Declaração de Vida recente (com, no máximo 60 dias), emitida por um Consulado Brasileiro no exterior, em nome do participante.

Importante

O assistido que não responder ao recadastramento dentro do prazo estipulado poderá ter seu benefício suspenso. O restabelecimento do pagamento (inclusive retroativo ao período de suspensão, atualizado monetariamente) só ocorrerá depois da regularização de sua situação junto à Fundação Itaú Unibanco.

Busca