Coronavírus - Impactos no Mercado Financeiro

26/05/2020

  • "Procure entender o que está acontecendo e não se precipite!"

    Acesse o vídeo do professor Marcos Silvestre, economista, educador financeiro e autor de vários livros como "Previdência Particular: a Nova Aposentadoria". Clique aqui!

19 e 26/05/2020

Confira as novas perguntas sobre os planos com perfis de investimentos.

Clique aqui!

06/05/2020

  • O Impacto do covid-19 na sua aposentadoria

    Clique aqui e confira 11 perguntas fundamentais.

28/04/2020

  • Principais dúvidas sobre os planos com perfis de investimentos.

    Clique aqui!

27/04/2020

  • Alta volatilidade nos mercados. E agora?

    Confira nova mensagem exclusiva da Diretoria executiva aos participantes dos planos Itaubanco CD, Futuro Inteligente, Itaubank e Redecard CD.

09/04/2020

  • Impacto e contra-ataque econômico ao coronavírus

    Os impactos econômicos da disseminação do coronavírus e as respostas políticas, monetárias e prudenciais no Brasil e no mundo.

06/04/2020

  • Mercado Financeiro

    Confira a mensagem da Diretoria Executiva.

27/03/2020

  • Perspectivas econômicas em um cenário de pandemia global
     
    Economista-chefe Felipe Tâmega discute os impactos do coronavírus para economia global e brasileira.

20/03/2020

A crise provocada pelo coronavírus (covid-19) está impactando todos os países e respectivas economias. Medidas de emergência no âmbito da saúde pública, como a quarentena, e na política econômica, como a atuação conjunta de Bancos Centrais ao redor do mundo reduzindo taxas de juros, vem sendo implementadas em todas as regiões.

Os impactos negativos do covid-19 no crescimento econômico mundial a priori não são oriundos da doença em si, mas sim das medidas agressivas de controle que tem se mostrado necessárias para evitarmos a contaminação em massa das populações e, por consequência, uma exaustão na capacidade dos atendimentos nos sistemas de saúde.

Os mercados financeiros, em meio às notícias e medidas divulgadas diariamente, respondem de forma bastante intensa ao conjunto de incertezas que temos no momento, particularmente: (i) a duração desta crise; (ii) aos impactos na demanda e consumo das empresas e famílias; (iii) como a oferta de bens e serviços conseguirá reagir; e (iv) à efetividade das ações de estimulo às economias e das ações de saúde pública para o controle dessa pandemia. Cabe pontuar que os mercados financeiros e a economia global estão sendo impactatos não apenas por esse choque do Coronavírus, mas também pelo colapso nos preços do petróleo, após decisão da Arabia Saudita de aumentar substancialmente sua produção, deflagrando uma guerra de preços com a Rússia. A forte queda observada no petróleo tipo Brent após essa decisão, de quase 30% na abertura do dia 09 de março, foi a maior vista nos últimos 30 anos.

No contexto das incertezas que estamos atravessando, as carteiras de investimentos dos nossos perfis , bem como grande parte do mercado financeiro, vem apresentando perdas em meio às oscilações de preços dos ativos. Entendemos que traz apreensão aos participantes, não só pelo que já ocorreu, mas também com relação às expectativas futuras. Entretanto, é importante mantermos a cautela. Os mercados estão disfuncionais e momentos como este em que estamos vivendo, ao efetuar movimentos abruptos nas carteiras, individuais ou de nossos perfis de investimento, podem se traduzir em perdas efetivas, sem capacidade de recuperação futura.

NOSSA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

A Fundação Itaú Unibanco tem políticas de investimentos definidas para cada plano, as quais contém as diretrizes de aplicação dos recursos em diferentes classes de ativos, respeitando a escolha de perfil indicada por cada participante. Naturalmente, os perfis com maior possibilidade de alocação em ativos como juros longos e ações, tendem a ser mais impactados nestes momentos de fortes oscilações nos preços.

A gestão de investimentos respeita a política de investimentos aprovada pelo Conselho Deliberativo para cada um dos planos de aposentadoria complementar e procura administrar, da melhor forma possível, impactos de curto prazo nas carteiras. O cumprimento do mandato definido é um quesito fundamental nesta atividade, se pautando na ética, transparência e conduzindo com responsabilidade a gestão dos recursos de nossos participantes. A gestão, em especial dos perfis com maior risco de mercado, segue ainda uma visão estratégica de longo prazo, no âmbito da gestão dos recursos de previdência, balanceando continuamente o risco x retorno em suas decisões.

EXPECTATIVAS PARA O CURTO PRAZO

O país é diretamente impactado pelo o que ocorre no mundo. Esperamos uma continuidade de oscilações nos ativos brasileiros e também nos demais países. Enquanto tivermos o covid-19 se espalhando pelo mundo e em uma curva de contaminação não controlada, os movimentos tendem a ser maiores. À medida que as atividades econômicas forem sendo retomadas, será possível aos mercados estimarem melhor os efeitos dos resultados da quarentena imposta mundialmente, bem como se os “remédios” aplicados pelos Bancos Centrais no mundo todo foram suficientes.

Importante entendermos a dinâmica dos mercados, que operam o futuro baseados nas informações presentes. Com a dificuldade em se fazer previsões, como ocorre no momento atual, a aversão ao risco cresce com grande amplitude e por isso vemos a volatilidade de todos os ativos aumentarem. Precisamos aguardar uma recalibragem de efeitos mais realistas para que cada um de nós, seja na gestão dos recursos ou na condição de participante que optou por perfis com maior risco, possa também recalibrar suas expectativas futuras e a relação risco x retorno oferecida para atingimento de seus objetivos. Em outras palavras, é imprescindível termos cautela em momentos de stress, para que as melhores decisões possam ser tomadas.

 

A Fundação permanece à disposição por meio de seus canais de atendimento para o acolhimento de dúvidas e ampliando o contato com nossos participantes.

Reforçamos o nosso compromisso com a transparência e a comunicação.

Destacamos também a importância como cidadãos, respeitando as diretrizes da Organização Mundial da Saúde para contribuir com um final mais rápido de um dos maiores desafios que a humanidade tem enfrentado.

 

 

Busca